aprendizagem colaborativa em sala de aula

Aprendizagem colaborativa: Como desenvolvê-la na sala de aula?

A aprendizagem colaborativa em sala de aula pode ser uma ótima solução para trazer mais engajamento, interatividade e participação para o ambiente escolar.

Já falamos por aqui que a educação precisa acompanhar as evoluções da sociedade. Afinal, ela é responsável por preparar os alunos para a vida adulta, tanto pessoalmente, nas suas relações, quanto intelectual e profissionalmente.

Com a evolução tecnológica é notável que o indivíduo desenvolveu um papel muito mais ativo na descoberta. Você, com certeza, já deve ter escutado algum responsável falando: “Meu filho de 3 anos aprendeu uma função do celular que eu não sabia.”

Estimular, portanto, essa autonomia e o protagonismo na aprendizagem é uma necessidade urgente no ambiente escolar. Afinal, esse indivíduo em formação não está acostumado a receber o conhecimento passivamente. Para manter a atenção, ele precisa participar, interagir e, claro, colaborar.

Vamos entender melhor como funciona a aprendizagem colaborativa e como você pode desenvolvê-la na sala de aula?

O que é aprendizagem colaborativa?

A aprendizagem colaborativa, como o próprio nome sugere, trata de uma nova metodologia de ensino que coloca o aluno em um papel mais ativo dentro da sala de aula. E, como sabemos, os métodos ativos são tendências muito presentes na Educação 4.0 e 5.0.

Em resposta, claro, às mudanças tecnológicas, de inovação e atuação dos indivíduos no meio.

De acordo com especialistas, como o Hiltz, o conhecimento é um produto social. Isso quer dizer que, naturalmente, as interações sociais e colaborativas podem facilitar o processo de aprendizado.

Na prática da aprendizagem colaborativa, o aluno interage socialmente com os demais, para trabalharem em conjunto com uma finalidade em comum.

Diferente do modelo tradicional, o professor deixa de ser o único agente do conhecimento e passa a ser um guia e orientador da aprendizagem.

Mas, para isso, é preciso desenvolver estratégias, atividades e práticas que forneçam mais autonomia para o aluno. Permitam, portanto, maior interação, participação e, principalmente, colaboração no ambiente escolar.

A aprendizagem colaborativa tende a ser, portanto, mais dinâmica e democrática. Afinal, as trocas acontecem de maneira rápida, natural das gerações atuais, menos monótona, pois o estudante tem um papel ativo. E, claro, democrática, pois respeita as diferenças de aprendizado de cada aluno.

Afinal, se ele pode colaborar, também consegue imprimir o seu próprio ritmo, preferências, talentos e respeitar suas necessidades durante o processo educacional. Essa multiplicidade permite que todos cresçam e se desenvolvam de maneira colaborativa.

Não apenas entre os alunos, mas também com as trocas mais orgânicas e frequentes entre eles e os educadores.

Quais são os benefícios da aprendizagem colaborativa?

Um dos maiores benefícios da aprendizagem colaborativa é o aumento da diversidade das trocas. Com isso todos os agentes do aprendizado, alunos, professores e demais profissionais da educação, evoluem juntos.

Auxiliando, portanto, no desenvolvimento de novas competências, pensamento crítico e  poder de argumentação. Além, é claro, de normalizar as diversidades de opiniões, gostos e comportamentos.

Esse conjunto é fundamental não apenas para preparar o aluno para o mundo real, mas para que ele também consiga desempenhar um papel de agente da mudança. Impactando positivamente no meio em que vive, nas suas próprias relações e na obtenção de novos conhecimentos no decorrer da vida.

Veja abaixo mais algumas vantagens da aprendizagem colaborativa:

  • Melhora  relacionamento e a comunicação;
  • Auxilia na capacidade de trabalhar em equipe;
  • O protagonismo da aprendizagem colaborativa e o reconhecimento da capacidade do aluno em aprender também são fatores positivos para a autoestima dos estudantes;
  • Aumenta o engajamento e a sensação de pertencimento;
  • Melhora a retenção do conhecimento, colocando a prática como mais relevante que a memorização do conteúdo;
  • Facilita o aprendizado;
  • Valoriza as experiências e vivências de cada um e incentiva que os alunos tragam elas para dentro da sala de aula.

Como estimular ou desenvolver a aprendizagem colaborativa em sala de aula

A aprendizagem colaborativa não é um molde pronto para ser implementado na sala de aula. Ela precisa ser estimulada e construída conforme as necessidades e possibilidades da instituição.

É importante compreender, antes de qualquer implementação, que a ideia de colaboração não está ligada ao descontrole dos alunos, confusão ou falta de limitadores. Muito pelo contrário, o professor ainda atua como orientador e mediador do conhecimento

As atividades, ações e estratégias da aprendizagem colaborativa serão definidas e colocadas em prática pela escola. Essa metodologia, portanto, auxilia na percepção de limites e respeito.

Posto isso, vamos a algumas técnicas que podem te ajudar a estimular ou desenvolver a aprendizagem colaborativa na sala de aula?

1. Sala de aula invertida

A sala de aula invertida também faz parte dos métodos ativos de aprendizagem. Nela o professor antecipa uma etapa, normalmente atividades práticas, explicação, ou exercícios, para que o aluno faça em casa, antes da aula.

Dessa forma temos um ensino híbrido, que mescla o online e o presencial. O intuito, assim como na aprendizagem colaborativa, é fornecer mais autonomia na busca pelo conhecimento. Auxiliando no senso investigativo e proativo do aluno.

2. Incentivo a debates e trocas entre os próprios alunos

Debates, trabalho em grupo e dinâmicas são estratégias fundamentais para desenvolver a aprendizagem colaborativa. Afinal, criamos cenários férteis para a exposição de opiniões diferentes, a argumentação, ponderamento e aceitação da diversidade de pontos de vista.

Nessas atividades o professor atua apenas como moderador, permitindo que os alunos, em grupo, tenham liberdade de posicionamento.

3. Desenvolver uma sala de aula interativa

A ideia de sala de aula interativa se mistura com a colaborativa. Afinal, as duas incentivam a participação do aluno durante o processo de aprendizagem. Na primeira, a interatividade do aluno não ocorre apenas nas relações, mas também com as ferramentas digitais na educação.

Nesse caso, estamos estimulando também a autonomia e a proatividade. Além, é claro, do senso investigativo.

4. Cultura maker

A cultura maker está diretamente relacionada ao pilar educacional: aprender a fazer. Nela, a escola destina esforços para que o aluno aprenda, na prática, os temas abordados em sala de aula. A ideia, portanto, é transformar o ambiente escolar em um local de experimentação e prática do conhecimento.

Como você já deve imaginar, isso também colabora na independência do aprendizado, com meios e métodos criativos. O que, naturalmente, também auxilia na absorção do conhecimento, tornando-o muito mais consistente e menos decorativo.

5. Utilizar a tecnologia como um meio facilitador para a aprendizagem colaborativa

cultura digital na educação

A tecnologia é um meio importante dentro dos novos métodos de aprendizagem. Afinal, além de estar presente no cotidiano dos alunos fora da sala, ela é um facilitador para aplicar e desenvolver atividades mais criativas, dinâmicas e interativas.

Investir em tecnologia é, portanto, um fator importante para desenvolver uma sala de aula colaborativa.

Não sabe por onde começar? Que tal implementar as ferramentas do Google? O Google Workspace conta com inúmeras ferramentas e funcionalidades muito interessantes! Conheça abaixo um pouco mais sobre o G Suite for Education.

G Suite for Education

O G Suite for Education é um pacote de ferramentas que a Google desenvolveu com o objetivo de oferecer às instituições de ensino uma série de facilidades tecnológicas.

A plataforma possui ferramentas de gestão, comunicação, criação e colaboração; todas visando facilitar a rotina de alunos, professores e gestores pedagógicos.

Algumas das funcionalidade do G Suite for Education:

  • Gmail;
  • Drive;
  • Criação (Documentos, PLanilhas, Apresentações, Formulários, Sites, My Maps);
  • Meet;
  • Chat;
  • Jamboard;
  • Agenda;
  • Grupos;
  • E, claro, o Classroom.

Não sabe ao certo como implantar ferramentas digitais na educação? A Safetec pode te ajudar!

A Safetec Educação é uma empresa de consultoria em tecnologia em nuvem que tem apresentado grande sucesso na implantação da transformação digital educacional em instituições de ensino.

Empregue também em sua escola os softwares que já estão ajudando 80 milhões de estudantes ao redor do mundo a se desenvolverem com muito mais engajamento, criatividade e aproveitamento.

Ficou interessado? Então, clique aqui e conheça a Safetec Educação.

Compartilhe com seus amigos!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn