o que é sala de aula interativa

Sala de aula interativa: O que é, benefícios e dicas para implantá-la!

A sala de aula interativa é uma ótima opção para incluir o aluno como agente ativo do seu próprio aprendizado.

Sabemos que, atualmente, prender a atenção de crianças e jovens em uma sala de aula é uma missão quase impossível, não é mesmo? Afinal, além da energia natural da idade, ainda estamos lidando com uma geração a jato.

É para esse aluno que precisamos instruir sobre cores, texturas, formatos, letras e tantos outros conhecimentos que costumavam ser ministrados em longas aulas teóricas.

Muitas instituições ainda lutam contra os comportamentos alterados pela tecnologia e pela revolução digital. Mas e se pudéssemos utilizar toda essa energia, inovação, curiosidade e interatividade dentro da sala de aula?

É exatamente o que a sala de aula interativa traz! Vamos entender melhor como ela funciona, ideias para desenvolvê-la e algumas dicas práticas?

O que é uma sala de aula interativa?

A sala de aula interativa faz parte das estratégias, ferramentas e processos para incluir a tecnologia em grande parte das atividades educacionais. Estamos falando, portanto, de utilizar a inovação inclusive dentro do método tradicional de ensino, ao ministrar a aula na lousa, nos exercícios de fixação e até nas tarefas de casa.

A ideia é oferecer uma rotina de contato e integração com as ferramentas digitais, seja na comunicação, didática, momentos de lazer e atividades dentro da esfera educacional. Ou seja, estamos incluindo também a vivência escolar fora das paredes da sala de aula.

Afinal, a integração não deve ocorrer de forma linear ou pontual. Precisa ser uma construção natural que coloca o aluno como agente ativo da sua aprendizagem e das trocas estudantis.

Importância de incluir a interação na sala de aula

Como mencionamos anteriormente, prender a atenção do aluno nascido na era digital é uma missão muito complexa e frustrante. Afinal, temos que lutar contra inúmeros estímulos oferecidos pelo celular, tablet e notebook. E não estamos falando apenas no ensino remoto, essa batalha também se estende para a sala física.

A diferença é que, no ambiente presencial, os professores e profissionais da educação têm a impressão de maior controle sobre esses elementos externos. Mas, independente do cenário, o ideal é unir forças e não criar um embate pela atenção dos alunos.

A interação fornecida pela própria instituição acaba por atrair a atenção dos estudantes de uma forma natural. Melhorando, assim, a participação deles nas atividades, gerando mais engajamento nas aulas e estimulando as trocas de experiências, informações e percepções.

Isso, claro, afeta diretamente o nível de autonomia na busca por conhecimento e absorção do conteúdo. Agilizando, assim, a aprendizagem e tornando ela muito mais real e menos hierárquica.

Como criar uma sala de aula interativa: dicas práticas para trazer mais interação para o ensino

sala de aula interativa na escola

1. Implemente a sala de aula invertida

Já falamos sobre sala de aula invertida por aqui, mas, resumidamente, trata-se de uma metodologia que estimula, nos alunos, a autonomia no aprendizado. Ao invés dele receber o conteúdo passivamente, durante 20, 30 minutos de aula teórica, ele pode começar a explorar o tema de forma independente e remota.

Por exemplo, na sexta-feira a aula será sobre mamíferos. Na segunda o professor pode propor um desafio: encontre 10 imagens de animais que possuam glândulas mamárias. Eles terão que pesquisar o que são glândulas mamárias e encontrar 10 animais diferentes que apresentam esse elemento.

Para auxiliar, o professor pode compartilhar no Google Sala de Aula, por exemplo, vídeos de pequenos filhotes mamando.

Você percebe que, com essa estratégia, colocamos o aluno como um agente ativo do aprendizado? Ele não só terá muito mais independência para obter conhecimento, como construirá um banco de informações e dúvidas para trazer para a sala de aula.

Melhorando, portanto, o engajamento, a troca e, claro, a interatividade em sala de aula.

2. Enriqueça o ambiente e as atividades

A criatividade e a inovação são elementos fundamentais para uma sala de aula interativa. Não basta que existam as trocas, é preciso que o aluno se interesse por realizá-las. Utilizar métodos divertidos, com formas de resolução diferentes e a inclusão de elementos não comuns podem ser ótimas estratégias.

Principalmente na sala de aula interativa no ensino básico.

Estamos falando de itens simples, como uma nuvem feita de algodão com luzes que imitam raios, ou mais complexas, como projeções da aurora boreal no teto da sala.

3. Explore as ferramentas digitais disponíveis

A tecnologia é, sem dúvidas, um dos melhores elementos para a sala de aula interativa. Afinal, além de estar muito presente no cotidiano do aluno, trazendo maior identificação com a atividade, ainda proporciona dinamismo para as demonstrações, interações, etc.

Por exemplo, o que você acha que gera mais engajamento dos alunos:

  1. 20 minutos de explicação teórica sobre os mamíferos, com o apoio de uma apostila e o quadro negro, ou
  2. 10 minutos observando, em 3D, cada detalhe de um tigre branco. Poder levar os alunos para dentro do corpo dele e analisar cada uma das características que fazem dele um mamífero.

Essa é uma batalha completamente injusta, não é mesmo? Mas com o uso da inteligência artificial, da realidade aumentada e de infinitas outras ferramentas digitais na educação, nós podemos oferecer experiências como essa.

Além de conseguir a atenção de todos, ainda incentivamos as trocas entre os próprios alunos, o engajamento na aula e o facilitamos a absorção do conhecimento.

Outras ferramentas que também auxiliam nesse sentido são:

  • Blogs;
  • Podcasts;
  • Vídeos do Youtube;
  • Redes sociais;
  • Ferramentas do Google Workspace
  • E tantas outras!

4. Utilize os hobbies dos alunos como ferramentas da sala de aula interativa

Incluir atividades de interesse dos alunos também é uma ótima forma de trazer mais participação e interatividade na sala de aula. Como jogos, vídeo-games, séries e filmes mais atuais.

O professor pode, por exemplo, pedir para a sala preencher no Google Forms, as séries preferidas. Vamos supor que sejam:

  • Sex Education;
  • Stranger Things e
  • Outer Banks

A primeira resposta pode ser utilizada para falar sobre educação sexual, nas aulas de ciências. A segunda sobre ficção científica, nas aulas de literatura. E quem sabe, utilizar a série Outer Banks na aula de história, para fazer um paralelo com as diversas divisões sociais, em diferentes épocas.

5. Estimule a participação sempre!

Para que a sala de aula seja, de fato, interativa, as trocas precisam ser incentivadas. Mesmo quando não estão no cronograma da aula, a participação deve ser aceita e elogiada.

Estamos buscando pela atenção e interatividade das crianças e jovens no ambiente escolar, não faz sentido, portanto, censurá-la, ou limitá-la a determinados períodos.

Quando os alunos sabem que serão ouvidos e que há um canal de comunicação sempre aberto, eles se sentem mais seguros de se expressarem e participarem das atividades, discussões e debates.

Desafios e cuidados ao implantar a sala de aula interativa

o que é sala interativa

Se você é um profissional da educação, já deve ter notado alguma resistência de professores e até mesmo pais em relação à implantação da sala de aula interativa. Muitos argumentam que são muitos elementos distrativos, ou que o aluno vai acreditar que tudo precisa ser divertido

E, bom, são argumentos extremamente válidos. Planejamento, cronograma e estabilidade nas estratégias utilizadas podem evitar que isso ocorra. Tanto a falta de foco no conteúdo relevante, quanto a forma de compreender o aprendizado.

A ideia da sala de aula interativa é estimular o protagonismo do aluno na sua jornada de ensino. E isso deve ocorrer de forma contemporânea, ou seja, adequada a época atual, e pedagógica, sem fugir do plano educacional.

Outro cuidado importante, ao implantar a sala de aula interativa, é estabelecer as ações de forma superficial. É muito comum que algumas instituições considerem que realizar pesquisas, enquetes e colher o feedback dos alunos basta para trazer interatividade.

Na verdade, essas também são estratégias a serem utilizadas, mas não são suficientes para estabelecer uma sala de aula interativa. As trocas e participações precisam ser mais autônomas, independentes e orgânicas.

Estrutura para a inclusão da interatividade na sala de aula

Como falamos, existem algumas tecnologias e ferramentas digitais para professores que podem facilitar a inclusão da interatividade na sala de aula. Além das já citadas, podemos mencionar algumas relacionadas à estrutura tecnológica da escola. Como, por exemplo:

  • Lousas digitais;
  • Computadores, notebooks e tablets;
  • Projetores comuns, ou em 3D;
  • Entre outras.

Destinar um orçamento para essas ferramentas digitais é, hoje, uma preocupação do Estado e das próprias instituições. Mas você sabia que existem outras ferramentas gratuitas que também podem dar suporte à sala de aula interativa?

Não? Então, você precisa conhecer o Google Workspace!

O combo do Google Workspace, por exemplo, possui inúmeras funcionalidades que podem facilitar a rotina das escolas e incluir a tecnologia de uma forma dinâmica e criativa. Inclusive, com inúmeras ferramentas voltadas para educação no Google for Education.

Não conhece?

O que é Google for Education?

O Google for Education é uma solução desenvolvida pela gigante da tecnologia com o objetivo de facilitar o aprendizado e o ensino.

Ele fornece um conjunto de aplicativos voltados para educação que podem ser usados desde o setor administrativo até a sala de aula.

A Safetec Educação pode ajudar a levar essa inovação para sua escola. Entre em contato com a nossa equipe e saiba como podemos te ajudar a alinhar a tecnologia com seu método de ensino.

Compartilhe com seus amigos!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn